Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por 25Slash7 em Seg Jul 20 2009, 18:23

Nadja ia deixando para trás um rastro de cadáveres utilizados para conseguir aqueles demônios como teus servos. Não. Demônios não eram sua especialidade. Seu conhecimento vagueava mais pelos cantos da necromancia. Mas aquilo era o que tinha a sua disposição.

Enquanto andava, sabia que deixava algo grande para trás. Sabia que aqueles cinco que restaram estavam planejando algo que mudaria todo o restante. Ainda era capaz de ouvir eles sussurrarem "Anathema" e o som daquela palavra ecoando em sua mente, era mais que o suficiente para fazê-la sentir uma estranha sensação percorrer a sua espinha.

Subiu pé ante pé, passando pelas paredes de terra que eram mantidas presas por rústicas estruturas de metal e ferro. Chegou até o topo e cobriu os olhos quando a luz solar pousou sobre os seus olhos. Não entendeu porque, mas algo, naquilo, a incomodou.

Nem sinal de Sesus. Estava próximo a prefeitura da cidade, o combate deveria estar acontecendo mais ao norte. Farejou o ar e sentiu o cheiro de essência corrompida. Aqueles demônios, lá embaixo, tinham algo a ver com aquilo. Sentiu o chão tremer. Sentiu seu próprio espírito tremer. Mas aquela sensação, o que aqueles demônios faziam lá embaixo, por alguma razão que desconhecia, lhe dava uma certa sensação de familiaridade.

Os demônios, envolvidos por nuvens esverdeadas, ácidas, se enfileiraram à suas costas, como se aguardassem ordens.

Eles estariam prontos para entrar na guerra, comandados por Nadja.

Pelo menos, até que o que quer que estivesse acontecendo lá embaixo, realmente acontecesse.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por 25Slash7 em Seg Jul 20 2009, 18:24

[AÇÃO DA NADJA É ANTERIOR A AÇÃO POSTADA ACIMA]

Seus olhos pacíficos encaravam os Tomescues com cautela. As vozes já não a perturbavam mais, apenas deixando que fluíssem sem delongas. Quando algo mostrou incomodar os demônios, Schwarzer moveu o rosto devagar para olhar para cima, logicamente não veria nada.

Nadja sorriu, um sorriso fraco e invisível quando a essência vazou para os subterrâneos, com mais uma reverencia deu inicio ao seu caminhar, esperando ser seguida pelos Tomescues. Não se demoraria a fazer o percurso de volta para cima, ignorando todos e qualquer a sua volta, focada apenas no trabalho a sua frete: Comandar os Tomescues.

Nadja os conduzia para o campo de batalha, a palavra ainda martelava sua mente, mas agora concentrava-se em sua tarefa.
E os olhou por cima dos ombros, fosse o que fosse, estava pronta agora.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por 25Slash7 em Ter Jul 21 2009, 09:09

- Precisamos descobrir se há alguma espécie de arma ou fonte secreta de energia.

As palavras de Raison ecoaram na mente de cada um dos enviados da SERAPH, ao mesmo tempo que sentiam que, talvez, os temores da Dragon-Blooded fossem confirmados. A energia que desde que chegaram vinha se tornando mais e mais presente. Inicialmente, era como se ela viesse do subsolo e absorvesse cada agonia que pingava sobre a terra do combate. Como se cada grito de desespero e dor alimentasse o que quer que estivesse vindo de lá de baixo. Ou de qualquer outro lugar.

Um olhar para o alto, mostrava Eberron, o Skyship, sobrevoando a cidade, como se estivesse se posicionando para uma incursão em massa de seus tripulantes.

Ou, quem sabe, por uma retirada em massa.

O exército invasor avançava pelo portão, junto dos mercenários, homens iam caindo, vitimados pelas emboscadas realizadas pelo exército de Sesus.
Mais ao centro, destinos que funcionam como verdadeiros buracos negros no centro do universo, sugavam uns aos outros, quase numa resposta inconsciente para descobrir quem era capaz de sugar para dentro de si mais das vidas a sua volta.

E quando todos os combates estavam prontos para continuar, algo aconteceu. Gritos. Gritos terrível, aterradores, ecoaram por todo o lugar, espalharam-se e fizeram com que cada um naquele lugar levasse as mãos à cabeça, temerosos pela agonia que era carregada dentro daqueles sons.

Para Nadja, aquilo era familiar.

A terra começou a estremecer e o forte cheiro de essência demôniaca tornou-se mais e mais intenso. Aos poucos, a terra ao redor do centro da cidade, exatamente onde Orabilis estava, começou a mudar. Inicialmente foi ficando vermelha, depois veias começaram a se formar sobre a superficie, chagas que sangravam e que começaram a se estender, lentamente começar a crescer, expandir, como se, em pouco tempo, fosse capaz de alcançar a cidade inteira.

O ponto central daquele enorme cancer que se expandia, mãos começaram a erguer-se, amontoar-se e aos poucos uma enorme mão ergueu-se. Gigantesca, com mais de 10 metros de altura. Na palma desta, um homem restava acorrentado. Longos cabelos cobriam suas feiçoes e seu corpo era marcado por tatuagens e cicatrizes, ritualisticamente feitas, e um mero olhar sobre esta transportava toda a dor que aquela "criatura" sofreu durante anos de agonia enquanto era tatuada, marcada, acorrentada.

Terror espalhou-se pelo campo de batalha.








Nadja sabia que aqueles demônios lá embaixo tinham algo a ver com ela.

Enquanto isto, ela e seus 20 "soldados" posicionavam-se no campo de batalha.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por Rosenrot em Sab Ago 01 2009, 15:53

Os olhos atentos enevoados no tédio costumeiro em que ela se camuflava sondavam cada fagulha daquela batalha. Acompanhava sorrateira o movimento, olhando para os lados e para os demônios que a seguiam.

“Dor...”

A aceleração da situação que ocorria como flashes de lembranças que nunca possuiu a fez respirar ofegante, um primeiro sinal que aquela criatura aparentemente morta em sentimentos deu de que estava viva, ou ao menos, pretendia estar. Os corpos que caiam pelo chão vitimados das batalhas que se dispuseram – ou não – a lutar não a perturbavam, o sangue, os gritos, todo o horror que uma batalha acarretava, nada daquilo a abalava... Nada, exceto...

“Nós... Nós sabemos... Quando voamos?”

Quando gritos, aqueles que a fizeram levantar as mãos aos ouvidos, aqueles que a fizeram erguer a cabeça para procurar o ‘foco’, os mesmos que a fizeram olhar para os demônios, perdendo-se na imagem decadente daquelas criaturas... Ah... Adoração, os mesmo gritos que a fizeram sorrir de prazer sádico e vertiginoso...

“Nós sabemos... Sabemos... Quando vamos morrer?”

E seus olhos se encheram de esperança vazia, seu corpo alucinadamente sentia cada lacuna preenchida pelas forças que, agora em sua mente entorpecida tomava conta do campo de batalha, afogando-se em poças de desejo sombrio. E seus olhos vazios contemplaram com louvor a mão erguer-se trazendo a torturada imagem daquele homem, inspirou e respirou a profundeza do inferno e a maligna energia uivante.

E seus olhos se abriram para o novo cenário. As mãos abaixaram o capuz, os cabelos vermelhos sangue flutuaram em torno do rosto jovem e pálido. E o brilho decadente de seus olhos fitou cada um dos vinte, segundos apenas para olhar cada rosto deformado.

“Sonhando...”

E pela primeira vez possuiu a ousadia de comandar.

– Matem... – Sussurrou a voz pedinte de anjo na mente diabólica. – Matem todos eles...
E com o braço erguido, apontou na direção dos inimigos de Sesus.

“Quando... Morremos?”
avatar
Rosenrot
Usuário
Usuário

Mensagens : 214
Data de inscrição : 06/07/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por 25Slash7 em Dom Ago 23 2009, 11:55

Continua no tópico Prólogo
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 3 - Canções Silenciosas

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum