Por trás das linhas inimigas

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por 25Slash7 em Qui Jun 28 2012, 16:30

- Todo escolhido das estrelas conheceu, Iron em algum momento de seu aprendizado. Ele é um dos poucos capazes de dominar o mais alto grau marcial: O Desabrochar da Lotus Perfeita.

Ouviu as palavras dela. E sua resposta veio logo em seguida.

- Não é "se" cabeça de vento, eles venceram a guerra. Alguns... ainda há seres, deuses e até Exaltados que caminham por aí e que se lembram da Era dos Sonhos. Os Solares lideraram a Criação e foram alguns dos nossos, juntos dos Escolhidos dos Dragões, que os tiramos do poder.

Continuou.

- Qual o seu problema com Samae? Ela é mais bonita com você? - franziu o cenho, como se não gostasse da insistência - Mantenha a mente aberta, a percepção afiada. Você não conhece a mulher, não sabe absolutamente nada sobre ela. Como pode presumir que é ela a responsável? Já pensou no inverso? Considerar a natureza agressiva de Fal Grey? E se ela for uma refém??

A crítica foi firme, incisiva e mesmo a acidez de Archer esmaeceu, incapaz de aliviar o confronto a visão estreita de Vaan. Quando terminou de falar, suspirou pesadamente e balançou a cabeça. Sentia um pouco dos efeitos da Vodka em seu corpo cansado.

- Contudo... nesse monte de bobagem que você falou, há alguma razão... uma única razão... a resposta está em Yu-Shan. - gradativamente, seu tom de voz foi amenizando. Archer desceu da pedra que estava e deitou-se sobre a neve, ficando de costas para ela. Bocejou - Seus amigos foram para Whiteribs, resgatar o que restou do porto Haslanti... nós iremos encontrá-los e, de lá, levarei todos vocês para Yu-Shan.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 33

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por Valkyrja em Sex Jun 29 2012, 10:41

Vaan não deixou de dar um sorriso orgulhoso ao ouvir sobre Iron. Ergueu um pouco o rosto e nem sequer se deu o trabalho de esconder sua felicidade. Se Archer ficasse irritadinho, era problema dele.

Vaan balançou a cabeça em negativo quando ouviu a resposta dele. Estava ainda cansada e a vodka subiu até sua cabeça naquela hora. Ela deu um sorriso bobo, mas logo escondeu. Era engraçado ver ele sempre tão sem paciência.

-Ora, relaxa um pouco, "cabeça de vento". Eu não tive alguém pra me explicar isso. - deu os ombros.

-Mas acho que cheguei bem perto, sozinha, do que aconteceu!

Levantou-se e andou um pouco, para levar sangue às pernas. Passou por Archer e pegou a cabaça com a bebida. Deu umais um gole e fez uma careta.

-Blerght!

Diante das alfinetadas de Archer, ela olhou a fogueira e amassou um pouco os olhos, como se fizesse força para lembrar de algo.. Colocou as mãos na cintura.

-Sim, ela era bonita. Não sei se você curte tatuagens, mas ela tinha umas bem legais.

Parou de andar e sentou-se perto da fogueira, ao lado oposto de Archer. Sequer erguia os olhos para ele.

-Se ela era uma refém, conduzia bem as tribos de seu captor. Inclusive, ela dizia que Fal Grey abria os caminhos para ela. Enfim, você está certo. É uma possibilidade e ela quer se livrar também dele.

Vaan ficou olhando a fogueira. Pensava que era muito bonito o crepitar do fogo, as chamas que tentavam elevar-se aos céus. Não respondeu Archer, deixando o menino ir dormir. Vaan tentava encontrar a resposta dentro de suas memórias. O que ela buscaria em Yu-Shan?

Escreveu na neve fofa o nome da morada dos deuses, olhando. O que havia lá?

-Quem você quer convocar pra ter seu lugar de novo, Samae?



(Fal Grey é santo e a Samae é mãe de santa! Vai usar ele pra abrir seus caminhos!)
avatar
Valkyrja
Usuário
Usuário

Zodíaco : Libra

Mensagens : 376
Data de inscrição : 06/07/2009
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por 25Slash7 em Sex Jun 29 2012, 11:35

Tinham aquele clima de indiferença entre eles, como se já houvessem se habituados com as provocações disparadas um contra o outro.

- Você é uma Sidereal. Não precisa que te expliquem quando você pode ter todo o conhecimento que precisa estudando o destino dos homens.

Se enrolou mais no casaco, deixando um suspiro preguiçoso escapar.

A bebida dava uma esquentada em seus corpos. A fogueira próxima e os ventos não tão forte, fariam aquela noite ser um pouco menos inóspita do que, naturalmente, são as noites no norte. Era, afinal, o tipo de lugar que endurece um homem até o ponto em que ele se torna algo mais. Tantas dificuldades, tornavam o nortenho uma criatura mais apta.

- Há algo que você precisa saber... não precisa ter uma resposta, nem se preocupar em entender. Deve, apenas, manter isso em mente...

Ainda não a olhava. Permanecendo do jeito que lhe era mais confortável, ou seja, de costas para a fogueira. Continuou.

- Como te disse... os Solares realmente governaram a Criação. Eles são como nós, mas escolhidos por uma divindade maior e, logo, mais poderosos. Além deles, há ainda os escolhidos de Luna, os Lunares e, como você já sabe, os escolhidos dos Dragões Elementais, os Dragon-Blooded.

De uma maneira quase natural, as imagens começavam a surgir na mente de Vaan. Ela se lembrava. Lembrava do poder dos Solares, da imponência de seus generais, os Lunares, e da vasta quantidade e organização dos Dragon Blooded. Lembrava-se... em uma época de sonhos.

- Mas os Solares se tornaram corrompidos pelo poder. Matavam indiscriminadamente, escravizavam, destruiam... enfim... eles precisavam ser parados. E, nesse momento, fomos nós, os Escolhidos do Destino, que olhamos para o Tear e procuramos por resposta. E encontramos... após muito estudo, os destinos foram divididos e as opções se mostraram... uma dessas opções era apoiar os Dragon Blooded a tomar a Criação e matar todos os Solares.

Vaan viu a imagem de um Solar lutando desesperadamente pela sua vida. Ao seu lado, um Lunar, seu fiel companheiro. Os dois lutavam e muitos morreram naquele massacre, essência explodia, mundos colidindo. Ao final... os Dragon Blooded venciam.

- Nós, Sidereais, escolhemos a morte dos Solares. Não todos, mas boa parte dos nossos concordaram. E, quando fizemos isso, nos dividimos em Facção de Bronze e Facção de Ouro. A primeira decidiu apoiar os Dragões. A segunda, foi contra. Essa divisão, ainda existe... ainda mais agora, que após anos desaparecidos, os Solares reaparecem...

E então ele se virou, fazendo o mínimo de esforço possível.

- Quando estiver em Yu Shan, lembre-se disso. Sidereais, Deuses... todos eles se lembram do que aconteceu e muitos deles tem interesse que a Criação permaneça como está ou que mude...

Ele não continuou. Imaginou que a conclusão seria lógica para ela.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 33

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por Valkyrja em Sex Jun 29 2012, 12:20

Vaan não tentaria mais se desculpar ou sequer ter uma convivência menos irritante com Archer. Ele mesmo não dava abertura e ela já tinha cansado. Agora, ambos tinham o clima de indiferença, como se um simplesmente prestasse um serviço ao outro. Já se acostuou com as patadas do jovem e ele parecia sequer ligar para as que ela respondia. Para não piorar, ambos se ignoravam.

- Não sei como se faz isso sem ir ao Tear. - o nome apareceu em sua mente. - Eu queria muito ser como você. Saber calcular o destino e tomar decisões baseadas, mas não sei. Acha que não achei legal quando deu a adaga pro sujeito?

Vaan não teve nenhum tom em sua afirmação. Foi direta, sem qualquer sentimento. Ela apenas expunha a verdade. Dizem que quando a bebida entra, a verdade sai. Bem...Saiu.

Vaan abraçou suas pernas e escondeu parte do rosto nos braços, sentindo o pelo fofo nos lábios roxos de frio.

-Vou manter isso em mente. Não se preocupe.

Fechou os olhos por longos segundos e sentiu a cabeça pender. Um ventinho frio passou e Vaan arrepiou-se. Mais um golinho não faria mal.

Os olhos sonolentos focavam no chão. Em seus sonhos, via os imponentes Solares. Belos em seu poder, governaram antes com sabedoria. Fossem nas linhas de frente - a imagem de um belo cavaleiro, que lembrava Alexander, surgiu. Sua armadura era tão brilhante que seus inimigos podiam ver suas faces de terror. - ou escondida nas sombras - a bela geisha tocava seu instrumento com calma e ternura. Seus olhos vermelhos eram tão fortes quanto o sangue de suas vítimas. Não eram simples humanos, eram semideuses, orgulhosos e donos de seus próprios destinos. Dentro de seu semidespertar, Vaan desejou ter sido escolhida do Sol, e não algo tão complicado quanto um Sideral.

-Hunf!

Os gritos de morte ensurdeciam toda a Criação. A águia gigante caíra ao lado de sua companheira Solar. O suplício da mulher era imenso. Cega pela loucura e dor, sua Essência explodiu como mil Sóis. Dragon-bloodeds próximos morreram. Seu fim foi com a flecha coberta de Essência de um samurai ao longe.

Vaan não sabia o que ela tinha feito durante a Usurpação, mas teve um arrepio em sua espinha. Teria ela matado pessoas como Niume e seus companheiros?

O olhar de Vaan para Archer foi firme.

-Então ela irá para Yu-Shan convocar a tal Facção Dourada, ou seja, quem era contra o extermínio dos Solares.

Vaan jogou a cabeça para um lado e depois para o outro, preguiçosa. A bebida a deixava quente. Deu um sorriso bobo, mas sempre disfaraçava.

- Justo.

Bocejou e ela mesma se ajeitou, mais encolhida.

- Cada dia essa bagunça fica mais...

Não terminou a frase. Sentiu os olhos pesarem e acabou fechando-os.Pelo menos, naquela noite, achou que poderia descansar de verdade.

avatar
Valkyrja
Usuário
Usuário

Zodíaco : Libra

Mensagens : 376
Data de inscrição : 06/07/2009
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por 25Slash7 em Sex Jun 29 2012, 14:25

Já havia dado as costas novamente quando Vaan voltou a falar. Acreditava que poderia ter um pouco de descanso, afinal, sua essência havia sido utilizada ao máximo naquela missão, além da necessária fuga que foi obrigado a fazer após carregar a novata.

- Pff...

Foi o som que fez diante da pergunta dela, ocultando um sorriso desajeitado quando ela disse que havia achado aquilo "legal".

Houveram alguns instantes de silêncio, enquanto a garota absorvia todas aquelas informações e, em resposta, dava a sua versão do que achava. Archer nada disso de início, tentando compreender melhor as possibilidades que aquilo incorreria.

- Essa é uma boa teoria - confessou.

Então, finalmente descansaria. Ou pelo menos assim pensou, pois logo a respiração de Vaan havia adotado um padrão diferente, ritmado, cansado.

Ergueu um pouco o rosto e a olhou por cima do próprio e resmungou.

- Imbecil, era você quem deveria montar guarda agora.

Pareceu irritado. Resmungou mais alguns xingamentos e então foi até onde ela estava, sentando-se ao seu lado. Pegou a bebida de sua mão e tomou um gole longo. Sussurrou.

- Até bêbado eu bato nesses bárbaros incivilizados.

E ficou ali. As vezes olhava para Vaan, observando-a dormir, outras ficava a encarar a fogueira e deixava seu cérebro rememorar fatos que talvez houvesse deixado passar, detalhes. Em alguns momentos se levantou, praticou posturas, como um meio de se manter concentrado.

__

Vaan sentiu uma manifestação a sua volta.

- Acorde!!!

O grito veio de Archer. Um dos bárbaros avançou sobre ele e o guerreiro girou o corpo, passou por baixo dos braços do adversário e o empurrou com o ombro, seguido de um violento chute que quebrou o pescoço dele.

- Eu preciso que me proteja. Agora!!

E deu as costas para a direção de onde oito bárbaros avançavam, com armas em punhos e gritos de guerra. Archer fechou os olhos e sua essência começou a transbordar.
avatar
25Slash7
Administrador
Administrador

Zodíaco : Peixes

Mensagens : 692
Data de inscrição : 09/07/2009
Idade : 33

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por Valkyrja em Sex Jun 29 2012, 16:54

Vaan não respondeu quando Archer começou a reclamar. De fato, parecia já ter se entregado ao sono havia alguns minutos. Um sono infantil, quase inocente. Nem notou a aproximação de Archer e a única coisa que fez foi franzir a testa, desacordada, quando ele puxou a cabaça. Ocultou ambas as mãos no casaco, dormindo.

Os cabelos da menina caíam teimosamente sobre a face branca. O resto das olheiras estavam desaparecendo e seu aspecto voltou a ser jovial. As bochechas vermelhas denunciavam o frio que sentia.

Foi caindo lentamente, mas quando seu ombro tocou o ombro de Archer, ela parou, apoiando-se nele. Ainda respirava como um bebê.

Porém, sorriu quando ele disse sobre bater nos selvagens até bêbado. ele era realmente engraçado quando reclamava demais.

-----------------------------------------------

O grito de Archer veio como uma flecha dentro dos sonhos pacíficos de Vaan. Acordou e antes mesmo de sua visão focar, já percebia o perigo a volta. Não havia tempo para dizer alguma coisa. Antes do bárbaro derrubado por Archer alcançar o chão, sem vida, Vaan já havia passado por ele.

A essência percorria por seu corpo e ela deu um meio sorriso. Era bom estar descansada para chutar mais alguns traseiros peludos e selvagens. Sua postura quase fantasmagórica andava pelo campo e seu olhar era de uma indiferença irritante. Parecia querer avançar apenas, e os bárbaros não passavam de pedrinhas em seu caminho.

[1]Quando o primeiro bárbaro chegou próximo, Vaan girou sobre um dos calcanhares. A outra perna ergueu-se e a esticou apenas quando o bárbaro estava bem próximo, batendo o calcanhar ao lado do epscoço do bárbaro. Tamanha foi a força que o pescoço do homem provavelmente deveria ter quebrado, como a vítima de Archer.

[2]Antes que o homem começasse a cair, Vaan passou o calcanhar para atrás de seu pescoço e o "puxou", parando com os dois pés nas costas do cadáver e saltou para o próximo. Sumia dentro das linhas do destino. Era como um fantasma.
Seu salto foi para cima e deu uma cambalhota. Caiu com os pés no ombros do próximo bárbaro, de joelhos levemente flexionados. Puxou o nariz do mesmo por baixo, fazendo-o olhar para cima e desequilibrar. Apareceu novamente, com um sorriso irritante em seus lábios.

-Bu!

E com a força das pernas e quadril, girou para a esquerda e quebrou o pescoço do homem.

[3]Quando caiu de joelhos, morto, Vaan já tinha saltado de cima dele, como uma criança que saltava de uma pedrinha sobre um rio. Ela correu para o lado esquerdo, indo atacar o outro bárbaro. Pequena como era, não teve problemas em evitar o golpe vertical que o homem dera com sua arma. Bateu o braço direito - humano - cotra o punho do homem, para dentro, e afastou seu golpe. Com o braço demoníaco, amassou as costelas do homem. Quando ele se controceu, ela pegou com a mão direita, sua cabeça. Deu um pequeno salto para o lado e esmagou sua cabeça contra seu joelho.

-Mais cinco!

Parou na frente dos homens que teimavam em avançar. Mexeu os braços na frente do tronco e forçou os músculos. Partículas de Essência e poeira saltavam.

avatar
Valkyrja
Usuário
Usuário

Zodíaco : Libra

Mensagens : 376
Data de inscrição : 06/07/2009
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por Valkyrja em Sex Jun 29 2012, 19:22

2- excelencia em artes marciais x2

3-excelencia em artes marciais x2

+1 de stunt
avatar
Valkyrja
Usuário
Usuário

Zodíaco : Libra

Mensagens : 376
Data de inscrição : 06/07/2009
Idade : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por O Zelador em Sex Jun 29 2012, 19:22

O membro 'Valkyrja' realizou a seguinte ação: Roll

#1 'D10' : 8, 2, 8, 8, 3, 10, 10, 9

--------------------------------

#2 'D10' : 3, 1, 7, 6, 7, 3, 10, 10, 7

--------------------------------

#3 'D10' : 8, 8, 9, 1, 7, 10, 5, 6
avatar
O Zelador
Administrador
Administrador

Zodíaco : Áries

Mensagens : 189
Data de inscrição : 05/07/2009
Idade : 28

http://aboveandbeyond.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Por trás das linhas inimigas

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum