Chicago Blues: Introdução, Ambientação e Cenário

Ir em baixo

Chicago Blues: Introdução, Ambientação e Cenário

Mensagem por Narrador HDH em Ter Jul 07 2009, 22:33

Dividiremos a ambientação em três partes: Introdução, Hunter: The Vigil e World of Darkness: Chicago.



Não há NENHUMA necessidade de se ler o livro.
De certa forma, eu até desaconselho a fazê-lo.

Lembro-me que quando era mais novo, o maior tesão em jogar RPG era o desconhecimento. Quando o narrador falava “O vampiro com um jaco de couro se movimentava a uma velocidade incapaz de ser acompanhada pelos olhos” eu não pensava “Putz! Lá vai um Brujah usando Celerity”, mas sim “Nossa... to fudido!!!”.

Portanto, inicialmente, o trunfo maior será esse. É o desconhecimento que a maior parte de vocês, jogadores, tem sobre o novo World of Darkness.

Durante a interpretação, não se esqueçam que muito dificilmente os personagens serão bardos cantantes e alegres. O ano é 2008, fala-se palavrão, a grande maioria usa do coloquialismo para se expressar e etc. Portanto, não tenham medo de usar linguagem vulgar.

É claro, vai de acordo com o conceito do personagem.

Solicito que prestem atenção ao tipo de personagem que os outros jogadores irão criar/criaram. Personagens iguais roubam os holofotes uns dos outros, dividem. E apesar do jogo ser coletivo, cada um quer estar no centro do palco. Portanto, evitem criar personagens de conceitos semelhantes demais.

Dois policiais no jogo? Ok. Algo como Starsky e Hutch. "Estética" parecida, mas conceito diferente.

Os personagens não precisam ter conhecimento do sobrenatural. De fato, ninguém de início deverá ter conhecimento muito extenso. Aqueles que tiverem como conceito do personagem alguém que tenha lidado ou estudado certas criaturas, terá de falar comigo e me passar a idéia antes, righta?

Aqueles que tiverem problemas com postagens, favor comunicar por MP ou no tópico OFF.
avatar
Narrador HDH
Narrador
Narrador

Mensagens : 30
Data de inscrição : 07/07/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Chicago Blues: Introdução, Ambientação e Cenário

Mensagem por Narrador HDH em Ter Jul 07 2009, 22:34



Hunter: The Vigil, trata de homens e mulheres que passam a ter conhecimento de que há algo a mais do que os seus olhos vêem.

São pessoas comuns. Como eu e você.

Nunca sentiu como se, em determinados momentos, poderia fazer algo que em qualquer outra situação não faria? Pois é. É assim que os Caçadores se sentem. Sentimentos como a proteção de um ente querido, a defesa de algo precioso.

Não. Caçadores não são paladinos modernos.

Muitos deles estão, na verdade, muito longe disso. Afinal, o que, realmente, separa um vampiro de um humano quando falamos de moral? Não são raros os casos de Caçadores que se tornam exatamente aquilo que caçam. Muitos se entregam a pura violência, outros se indulgem em vícios antes de confrontar a escuridão.

É difícil manter a sanidade durante este tempo.

Caçadores são humanos, como eu e você.
São humanos como o técnico de informática que, um dia, resolveu verificar aquela história numa comunidade de relacionamentos e descobriu que, realmente, um grupo de lobisomens se reúne todas as noites no velho prédio abandonado da Rua 12.

Caçadores são humanos. Eles respiram, eles sangram, sentem dor.

São como o velho Jack que, todas as noites, sai andando pelas ruas retirando os bêbados dos becos, após descobrir que há algum cara idiota que tem o mórbido fetiche de arrancar o rosto daquelas pobres almas. Ele nunca contou para ninguém, achariam que enlouqueceu.

São, também, como Jane que descobriu que o paciente da sala 6 é, na verdade, capaz de movimentar as coisas com a mente e que um grupo de cultistas agora o querem para poder arrancar o seu cérebro e entregá-lo para unidades governamentais que juram, em nome de deus, que trarão o Escolhido se fizer assim.

Jane não entende muito bem, mas ela resolveu fazer plantão durante toda aquela semana.



Caçadores são como Joe. Nunca um policial exemplar, um pouco acima do peso e com problemas para correr de tanto fumar. Mas desde que retornou para casa e encontrou apenas um boneco inanimado no lugar do seu filho, mudou de vida. Parou de fumar, perdeu alguns kilos e descobriu que possui uma mira excelente.

Eles podem ser, também, como Claire. Uma jovem estudante de 16 anos que um dia comprou, por uma módica quantia, uma dose de sangue vampírico em uma lojinha de tranqueiras “místicas”. Bebê-la criou uma estranha sensação e, agora, movida por sua curiosidade jornalística, ela sai a noite em busca de qualquer coisa sobre vampiros.

Caçadores permanecem atentos, em vígila.

Eles são como o Padre Joanes. Um filho da puta pedófilo que abusava de crianças que um dia foi abordado por uma espécie de “corregedoria papal”, que lhe deu uma bela surra, arrancou-lhe os bagos e marcou os seus pulsos. Chamaram-no de Iluminado, santo e ele acreditou.

Quando a noite chega, ele fica a porta da igreja, com a cruz na mão esquerda e uma calibre 12, pois ele, e apenas ele, sabe que as Estigmatas lhe deram a visão necessária para ver aquilo que o rebanho não deve ver. E ele, como seu Pastor, protegerá cada um dos seus filhos. Talvez, aquilo que ele caça não existe. Talvez nunca virá atrás dele.

Mas ele permanece ali, parado. Com um candelabro à suas costas e a visão a sua frente.

Amanhã ele estará ali novamente.

E depois também.
avatar
Narrador HDH
Narrador
Narrador

Mensagens : 30
Data de inscrição : 07/07/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Chicago Blues: Introdução, Ambientação e Cenário

Mensagem por Narrador HDH em Ter Jul 07 2009, 22:37



Chicago vem sendo chamada de Windie City (???) , o termo sendo usado metaforicamente para dizer que os habitantes de Chicago eram muito cheio de conversa. A cidade, no entanto, vem perdendo a sua reputação, já que as visitantes bem descobrindo que os habitantes da cidade acabam apoiando o que clamam com fatos. Como sempre, as pessoas vão ao extremo nesses assuntos, e qualquer um pode dizer a um estranho quase qualquer coisa sobre Chicago hoje e sentir que ele acredita nisto implicitamente.

Mas, em outro sentido, Chicago está, na verdade, merecendo o título de Cidade dos Ventos (Windy City). Isso se deve a um efeito que as grandes construções causam e que, aparentemente, não foi prevista por engenheiros e arquitetos. O vento é empurrado para baixo nas ruas. Dê uma passadinha pelo Templo Maçonico ou o Auditório em qualquer dia em que todo o restante parecer perfeitamente calmo, e você irá sentir uma "leve" brisa na base da construção que irá impeli-lo a colocar a mão em seu chapéu.




Chicago não trata sobre uma meia noite de sangue e corrupção, infestada por vampiros assassinos. Não é sobre uma cidade preenchida por paixão, ódio e história que dá assustadoras formas que terminam em batalhas brutais. Não é sobre uma cidade entre os segredos do passado e o mistério do futuro. Não, Chicago é apenas sobre isso. Chicago é sobre todas essas cidades.

Chicago é um complexo, uma cidade multifacetada e populada por personagens de cada extremo, de cada etnia, cada classe social e cada maldição.

Chicago é sobre relacionamentos complexos e conexões invisiveis. É sobre uma maneira única de dividir os próprios medos em um mundo sombrio.


Chicago é um complexo vivo, uma cidade sempre em conflito consigo mesma, sempre crescendo, expandindo, mals alta, mais velha.

Chicago é uma cidade de incontáveis batalhas pessoais em cada noite: a luta pela esquina, para salvar uma criança doente, para escapar de uma companhia corrpta e milhões de outras. Uma guerra é seguida de alívio e paz, mas em Chicago, cada batalha é sucedida por outra em algum outro lugar, seja pequena ou maior.

Conflito traz oportunidades. Conflitos dá a um individio a chance de mudar seu caminho ou o mundo que ele habita, aliar-se a nós ou a eles. Conflito é tudo, é o drama e a história. Apenas lembre-se que nem toda batalha é até a morte e nem que todo conflito faz alguém seu verdadeiro inimigo. As vezes você estará ao lado da mesma pessoa que o persegue durante a noite e cujo o sangue você divide contra as criaturas aterradoras que rastejam pelos cantos escuros da cidade. Quem você irá ajudar? Contra quem se opor? Quem você dominará hoje a noite e quem você irá dominar amanhã?
avatar
Narrador HDH
Narrador
Narrador

Mensagens : 30
Data de inscrição : 07/07/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Chicago Blues: Introdução, Ambientação e Cenário

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum